Publicado por: George Costa | outubro 24, 2006

Frei Damião

Ai está mais uma foto antiga, da visita do Frei Damião à cidade de Vertentes. As pessoas na foto eu consigo identificar, exceto o próprio Frei e a minha irmã, Gisele, ao lado direito dele.
Plantando bananeira: Filho de camponeses, Pio Giannotti – seu nome de batismo – nasceu a 5 de novembro de 1898, no povoado de Bozzano, na Itália. Na infância já era visto contemplando o crucifixo que carregaria para o resto da vida. Além do altruísmo (certa vez caminhou 30 quilômetros porque dera o bilhete do trem que ia para Bozzano a um mendigo), o moleque impressionava pelo equilíbrio – frequentemente saía pelo vilarejo plantando bananeira. O sonho de ordenar-se sacerdote foi adiado, com a eclosão da Primeira Guerra Mundial. Combateu pelo exército italiano e herdou das trincheiras geladas uma infecção na perna que lhe causava dores terríveis (erisipela). Voltou para o seminário e tornou-se padre em 1923.
Pertencente à Ordem dos Capuchinhos, em 1931 recebeu a tarefa de pregar do outro lado do Atlântico, no distante Estado de Pernambuco. Decorou meia dúzia de sermões em português e encarou o desafio. Acompanhado de outro frade, Fernando Rossi, organizou missões que percorreram quase todas as cidades do Nordeste. Costumava chegar à localidade escolhida às segundas-feiras no final da tarde. Às quatro da manhã de terça, ainda na escuridão, a multidão já se comprimia para ver a procissão de penitência.

Disputa pelas sobras: A primeira missa era celebrada às cinco. Uma hora mais tarde, o frade iniciava sua pregação. “No inferno o calor é bilhões de vezes pior que no Nordeste. As labaredas sobem e queimam sem parar o corpo dos adúlteros, das prostitutas, dos afeminados e dos criminosos”, dizia com a voz rouca, quase inaudível. A seguir tomava o café da manhã. As sobras eram disputadas a tapas pelas beatas. “Se ele deixasse um restinho no prato, todo mundo corria para comer”, contou a ISTOÉ Anita Meira, enfermeira que o acompanhou por 30 anos, a partir de 1962. “Não era fome, não. Era devoção. As beatas viviam atrás dele com uma tesourinha, tentando cortar um pedaço da batina”, completa. O dia continuava com outras missas, a reza do terço e as confissões, que duravam até a meia-noite (o horário era facilmente ultrapassado). Então dormia umas poucas horas – roncava como um leão – e no dia seguinte, às quatro da manhã, lá estava o velho capuchinho de novo, com a habitual campainha nas mãos, acordando o povo para ir à igreja. Numa rotina que se repetiu por mais de 60 anos, depois de sete dias Frei Damião se deslocava para outra cidade.

Jerimum com leite: Habituado a comer apenas o que lhe dessem, não escapou das brincadeiras de seu companheiro de pregação, Frei Fernando Rossi. Hospedados numa residência de Bom Jesus (PE), quando a dona da casa perguntou o que deveria servir, Rossi disse que Frei Damião adorava jerimum com leite. Sem reclamar, o capuchinho italiano comeu o mesmo prato durante os três dias seguintes, nas três refeições. Ao deixar o lugarejo, o companheiro debochou: “Como é, Frei Damião, gostou da comida?” Em tom de apelo, ele respondeu: “Nunca mais faça isso, Fernando!”

Contra a minissaia :Inimigo declarado do comunismo, do sexo antes do casamento e da minissaia, Frei Damião espalhou seus milagres por mais de 800 municípios. Nunca se queixou das dores, apenas das limitações que a idade lhe impunha. “Ele ficava chorando no quarto por não poder seguir nas missões”, lembra o Frei Rinaldo Pereira, do Convento São Félix, no Recife, onde o capuchinho morou nos últimos dez anos de vida. Para arrancar-lhe alguns sorrisos, diziam que sua única doença era uma “tercite” – o hábito constante de rezar o terço. Morreu a 31 de maio de 1997, de problemas pulmonares. Até os últimos dias, confessou todos os fiéis que o procuravam. Sem café melado, mas com a conversa cara a cara que o sertanejo nordestino entendia tão bem.

VOCÊ SABIA? Ingênuo, deixava os políticos se aproximarem para tirar fotos ao lado dele, mais tarde usadas para estampar santinhos de campanha. Num palanque montado para suas pregações em Canafístula (Alagoas), os alicerces cederam com a superlotação de políticos. Frei Damião ficou em situação constrangedora: caiu no colo do prefeito. São e salvo, tratou de tranquilizar os fiéis: “Quebrei só o terço, quebrei só o terço!


Responses

  1. gostaria de receber fotos do frei fernando com o frei damiao


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: